terça-feira, 8 de abril de 2008

Sonhos....




Parece uma palavra tão simples: sonho. Um substantivo de duas sílabas, sem acento, não há gera dúvidas se é com "s", "dois esses" ou "ç", mas para mim é um substantivo abstrato. E bota abstrato nisso.

Por que sonhamos? Como e quando os sonhos se formam? Como eles aparecem de repente na nossa cabeça e elaboramos um plano para torná-los realidade? Tem alguém que não tem sonhos? É possível viver de sonhos? Ou será que engorda? Será que a sociedade em que vivemos influencia e muda nossos sonhos?

Às vezes penso quais seriam meus sonhos, meus desejos e ambições se vivêssemos há 50, 60 anos atrás... Tenho sonhos, muitos deles por sinal. Não demoro nem cinco minutos para pensar em pelo menos 10...

  1. Falar árabe
  2. Conhecer a França
  3. Casar e ter filhos
  4. Ser correspondente internacional
  5. Ter uma carreira de sucesso
  6. Ser feliz
  7. Dar a volta ao mundo
  8. Ser amiga da minha filha (tá, ou filho)
  9. Voltar à Bakersfield
  10. Ter uma casa na praia, ou melhor, morar na praia

O que seria diferente se estivéssemos em 1935 e eu tivesse 23 anos? O meu sonho seria ter um lindo enxoval e me preocuparia com as surpresas da noite de núpcias? Não, comum demais e previsível demais. Talvez estivesse preocupada em aprender uma nova receita para poder chamar minhas amigas e mostrá-las a exímia cozinheira e dona de casa que 'sou'. Do que viviam essas mulheres? Juro que tento entender, mas não tenho idéia de como passavam o dia. À espera do marido? Cozinhando, bordando, engomando.... será que esses eram mesmo os sonhos delas? E se ninguém nunca tivesse queimado um sutiã em praça pública? Será que esse seria meu sonho? Fazer a diferença ou ser uma esposa exemplar? Quem foi que disse que depois que algumas mulheres se revoltaram todas tinham que seguir os passos delas? Não sei quem disse, mas foram tantas vezes que disseram que, de uma década para a outra tornou-se comum ser mulher, e não mais esposa, ser batalhadora, e não mais caseira, sair à procura, e não mais esperar ser encontrada. E isso é ser contemporânea... saber de moda, arte, cultura, economia, política, saúde e educação. Acho que essa sou eu, eu tenha que ser eu.

Estou confusa hoje (acho que deu pra perceber, né?). Sei bem onde quero chegar, mas não sei como fazer para chegar lá. Qual o melhor caminho e como traçar esse caminho...? Sou imediatista sim! Quero aprender árabe e ser fluente logo, ter dinheiro para poder casar, ter um emprego milionário semana que vem, e no próximo ano dar a volta ao mundo. Mas o que fazer para realizar esses sonhos? Mudar de sonhos?

Dicas, sugestões ou comentários, por favor, manifestem-se!

4 comentários:

Isa disse...

Amiga querida! Que surpresa saber q vc agora também tem um blog! Talvez essas e outras indignações podem ser colocadas em pauta na próxima fofocaterapia.Vou fazer minha listinha de sonhos tbm!
Adorei o texto, pra variar a jornalista do grupo revelando seus dotes! Só para pegar o gancho, no passado dotes seriam só os culinários, os de costura... quem diria que podemos falar agora em dotes jornalísticos!
;) bjaoo

Ju Campoy disse...

Oba, mais um blog pra ler!!
Não posso esquecer.

bjoooooo

Paty disse...

Xuxu!!! Amei!!! Não se preocupe, compartilho de certa confusão e de uma ansiedade grande pra conquistar sei lá o quê. Um dia eu decido qual é o meu sonho...

Pedro disse...

Sonhos que se sonham só... só são sonhos que se sonham só, pois sonhos que se sonham juntos é realidade... como diria Rauzito...
Linda, os bons passos para um sonho deixar de ser sonho é simplesmente seguir alguns passos, 1. Ser realizável, 2.Ser ecologicamente correto (Ou seja, se é bom para vc. e para todos a sua volta), 3. Ter a vontade de chegar lá.
E como do pouco que conheço de vc. sei que é uma pessoa equilibrada, inteligente, e perseverante, acredite, seus sonhos serão realidade! Adorei o texto. Mil Bjs.
Pedro.