sexta-feira, 25 de abril de 2008

Sentimentos inexplicáveis



As emoções dentro de mim sempre foram muito fortes. Mas hoje em especial reflito sobre duas emoções que, ultimamente, tomam conta de mim com maior frequência: a irritação e a sensibilidade.

A sensibilidade não é novidade. Sou uma pessoa sensível e sempre fui. Quando criança era só alguém levantar a voz comigo que meus olhos já se enchiam de lágrimas. E até hoje não mudei muito. Aprendi a conviver com esse sentimento, mas choro, e choro mesmo! Existem pessoas que têm o dom de me fazer chorar, não porque me deixam tristes, mas porque me emociono com toda e qualquer manisfestação de amor e carinho. Controlar esse sentimento não é fácil, quando menos espero meus olhos já estão cheio de lágirmas ou tenho um nó na garganta. Há alguns dias me espantei comigo mesma. Estou acostumada a chorar em filmes, novelas, seriados e até em algumas propagandas! Apresentação de crianças, temas emocionantes, palavras que tocam... mas nunca tinha me visto chorar por ver uma linda apresentação de... patinação! Pois é, essa nem eu entendi, mas me emocionei de verdade. Talvez seja uma mescla de sentimentos, lembranças e vontades que tomaram conta de mim naquele momento e senti uma lágrima rolando no meu rosto. Mas tudo bem, já me aceitei como uma pessoa chorona! Mas irritada... ainda não!

Não sei bem ao certo como que a irritação surgiu dentro de mim. Não quero procurar culpados, mas acho que descobri como esse sentimento funciona há quase seis anos quando conheci uma pessoa que se irrita com uma certa facilidade. Ao longo do tempo, ele foi se irritando menos (não que não se irrite mais, longe disso!) e eu fui conhecendo esse sentimento e agora sinto que às vezes ele toma conta de mim. Ficar sentada no banco do passageiro, não conseguir pôr em prática aquilo que planejei (apesar de o último post dizer que planejar não é necessário, nem sempre é possível fugir!), comentários desnecessários, aulas infames, pessoas lerdas, o trânsito, crianças berrando, barulhos com a boca... aaaah! Posso enumerar várias situações que me irritam, e nem sempre tomo as atitudes mais sábias quando estou irritada! Aliás, acho que nenhum sábio se irrita... Alguém consegue imaginar Gandi se irritando com o trânsito? Ou Buda irritadíssimo com alguém? Ou ainda Madre Teresa desesperada com o barulho das crianças gritando? Acho que não, né?!

É isso que estou tentando me tornar, uma pessoa sábia o suficiente para entender as limitações das pessoas e as diferentes personalidades com que convivo diariamente. Respirar fundo e acalmar o coração às vezes funciona, tentar me concentrar em alguma outra coisa que abstraia a situação que me irrita também pode ajudar, mas por favor, me ajude a ser sábia e não venha palitar seus dentes do meu lado!

2 comentários:

Isa disse...

amiga, eu ando um tanto irritada ultimamente tbm... e pior.. a irritação só faz mal a nós msmos... pq a pessoa q palita os dentes e q faz barulhos com a boca não tá nem aí p/ gente! mas é mto difícil ser sábia p/ se fazer d morto nessas situações! ;)
amei o texto e sinto falta das fofocas!
bjoo

Paty disse...

Ai amiga... quase seis anos??? Vc tá falando de mim??? hahahahahaha... Porque a carapuça serviu! hehehehe