sexta-feira, 11 de abril de 2008

Planejar... pra quê?

Ele planejou tudo. Da onde deveria sair, qual seria o melhor meio de transporte em cada cidade e país específicos, horários de partidas e chegadas. Mantinha um controle rígido do tempo gasto e do tempo necessário para cumprir cada trecho da sua aventura. Planejou até o que não era planejável, atrasos, mudanças de rotas e os mais variados imprevistos, tudo estava devidamente sob controle. Enquanto seus companheiros de aventura se desesperavam por conta de um ou outro fator que não tinham nem imaginado que iria acontecer, ele mantinha a calma e serenidade. Sabia que sempre há erros no planejamento, por isso os erros também tinham sido devidamente calculados. Parecia tudo sob controle, até quando não estava.

Depois de muitas peripércias, imprevistos, desesperos, um novo amor e, com certeza, muita história para contar, chegaram ao destino final. Mas, com cinco minutos de atraso, o suficiente para perder 20 mil libras. A decepção toma conta de todos que fizeram parte daqueles dias cheios de novidades. Não, não pode ser, depois de ter planejado tudo com tanta perfeição e ter se esforçado ao máximo para fazer tudo dar certo e certificar-se de que todos os companheiros estavam ilesos ao fim da loucura proposta, cinco minutos teriam acabado com o sonho de 80 dias?

Um único fator tinha sido deixado de lado... durante a viagem, ganharam um dia, por causa da mudança de fusos horários e só perceberam isso 10 minutos antes do prazo final estabelecido. Ufa! 20 mil libras ganhas e o esforço recompensado.

Moral da história: planejar pra quê, se o único fator que foi deixado de lado salvou a história?

2 comentários:

gustavo disse...

isso!!pra que?perfeito pela Fran!!um beijao cunhadinha!!!
gu

Isabella disse...

planejar para quê se o inesperado é sempre melhor e mais gostoso né? hehehe!
mas por via das dúvidas vamos continuar planejando nossas fofocas... aliás.. qdo é a próxima?
bjo amiga, saudades!