segunda-feira, 2 de junho de 2008

O nariz é meu

Que poder as pessoas acham que têm para resolver decidir o que vai ser da vida dos outros? É engraçado essa crença de algumas pessoas se acharem mais capazes ou mais experientes do que as outras e decidirem sobre o destino ou até mesmo sobre as pequenas coisas da vida dos outros. É quase que um vício do ser humano opinar sobre a vida alheia e acreditar que se os outros não vivem como eles, então está tudo errado. Os famosos sofrem com o julgamento público o tempo todo e isso se tornou tão normal que a vida deles é tema de conversas entre amigos, colegas e nos programas de tv desesperados por audiência. Mas isso já se tornou tão normal que são poucas as vezes que os ricos e famosos são realmente difamados, na maioria das vezes já surge outro boato e as pessoas esquecem do borburinho anterior. A maldade é grande, mas não chega a fazer grandes estragos (quero deixar bem claro que não concordo com a imprensa que vive às custas das novelas e reality shows globais).

Mas o que mais me assusta é a agressividade com as pessoas normais mesmo. Tenho visto, vivido e assistido à algumas situações com as quais eu realmente não me conformo. Não consigo entender como que alguém consegue se sentir bem usando todo o poder (que muitas vezes nem tem) para opinar, julgar e decidir sobre outras vidas. Aquelas pessoas que acreditam ser mais poderosas que as outras, que são prepotentes o suficiente para acreditarem que são donas da vida dos outros. Tem gente que se acha um pouco Deus e sai palpitando e impondo sua vontade sem ao menos questionar se o que estão fazendo é certo. Não se importam com os sentimentos alheios, e passam por cima até mesmo das mais inocentes das criaturas, que não tem defesa nenhuma.

Me indigno assistindo filmes que infelizmente sei que são verdade. Não acredito que uma pessoa usa e abusa do poder para conseguir dinheiro ilicitamente às custas de outras pessoas, ou utiliza do seu conhecimento para decidir sobre o direito à vida.

Quero ser dona do meu próprio nariz. Queremos ser donos do nosso próprio nariz. Querem ser donos do nosso próprio nariz.

5 comentários:

Isa disse...

Com certeza queremos ser donos do nosso próprio nariz. Eu quis, quero e sempre vou querer. Aliás, posso conjugar todos os tempos desse verbo. E outros poderiam conjugar os seus respectivos né?
Bjos amiga, até amanhã então? eeee!!! Bar, fofoca, café, comida?!?

ROSA E OLIVIER disse...

Piú giú, in fondo alla Tuscolana...
!?...passavo per un saluto!

Paty disse...

EEEEEEEEEEEEEEEEEEE indignação!!!!!!!!!!!!! Concordo xuxu!!!!

Isa disse...

Imagina uma mochila então hehehehehe!!
Amiga, cruza os dedos aí pra sair a fofoca! hhahahaha

gustavo disse...

ta falando do berlusconi????