quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Escrevi e não mandei


Como vocês sabem, sou jornalista. Escrever é o que eu faço para sobreviver. Não só financeiramente. Quem já leu qualquer outro texto desse blog pode perceber que para conseguir ter um pouco de sanidade mental também escrevo, extravazando meus sentimentos e me acalmando para poder sobreviver.

Muito bem, todo esse drama porque estou aqui com um email na minha pasta Rascunhos há dias. Começo, paro, leio, complemento, paro. Volto, leio, paro, releio, escrevo. Salvo, vou fazer outra coisa e ele fica lá, junto com tantos outros emails que comecei e não terminei, esperando ser enviado ou pelo menos terminado.

A verdade é que, assim como todos os outros que habitam a mesma pasta, não tenho certeza se ele deve ser enviado. Eles estão ali porque muitas vezes não falei o que queria dizer ou o que deveria ser dito.

Se esse blog é um desabafo, acho que meus rascunhos são praticamente meu atestado de insanidade mental.

Um comentário:

Iza disse...

sei. faz assim, escreve, sem parar. escreve até o fim. sem pensar aperta o enviar, fecha o e-mail e vai fazer outra coisa.
às vezes nessa vida, thais, a gente tem que ousar. OU-SAR.