sexta-feira, 29 de maio de 2009

O tal do nariz de cera

Lá quando eu ainda era adolescente escolhi ser jornalista porque gostava de escrever. Ao longo do tempo, da faculdade e dos dias de trabalho, percebi que essa não é a única qualidade que um bom jornalista deve ter. Apesar disso, ainda acho que gostar de escrever é uma das características desta profissão que eu mais tenho.


Atualmente, a maioria dos meus textos é sobre tecnologia ou sobre produtos que os nossos clientes vendem. Nada comparado a temas de revistas “legais” como Nova, Gloss ou até mesmo Capricho (já pensou escrever aqueles textos da Capricho? Ia ser divertidíssimo!). Enfim, mas o que eu mais gosto mesmo de fazer é o tal do nariz de cera. Permitido em poucos meios jornalísticos, o nariz de cera é aquela enrolaçãozinha no começo do texto, para deixar ele mais atrativo e diferente. E é a parte mais divertida! É uma pena que nem todo mundo perceba isso (quem não gosta de um texto sobre peixes que começa falando de Jesus Cristo???).


Fiz uma seleção dos “narizes de cera” que mais gosto e resolvi deixá-los aqui!


(Editoria: Lazer/Pauta: Bicicletas)
Um lindo dia de verão. O céu azul e o calor do sol aquecem as ruas da cidade, enquanto o orvalho que umedece o solo e as plantas aos poucos evapora. O canto dos pássaros desperta a cidade, que ao longo da manhã começa a funcionar em um ritmo agradável. Pais deixam seus filhos na escola e vão felizes ao trabalho, sem se estressarem no caminho, afinal, todos são muito educados no trânsito, que flui perfeitamente. Carros, motos, bicicletas e pedestres convivem harmoniosamente na rua, cada meio transporte nas proporções ideais para não haver grandes congestionamentos e transformar a cidade em um verdadeiro caos.

Buzina, ônibus lotados e motoristas estressados. A manhã nublada mal começou e as ruas das grandes metrópoles já estão lotadas. O céu cinzento e a névoa de poluição não permitem que o sol aqueça as ruas, que são um eterno vai-e-vem de carros e pessoas que não sabem muito bem o motivo de tanta correria, mas têm certeza de que não podem parar para cumprimentar seu vizinho ou um conhecido que cruze seu caminho. Trânsito parado, quilômetros de congestionamento e o caos logo nas primeiras horas do dia impede qualquer possibilidade de ter momentos agradáveis no caminho para o trabalho, escola ou algum outro compromisso.


(Editoria: Gourmet/Pauta: Os benefícios do peixe)
Há cerca de 2000 anos o peixe já fazia parte da alimentação dos povos da antiguidade. Prova disso é a passagem da Bíblia que conta o milagre da multiplicação, quando Jesus Cristo alimentou uma multidão com apenas cinco pães e dois peixes. Apesar de ser um alimento bastante comum e conhecido, provavelmente na época de Cristo as pessoas não conheciam as propriedades nutricionais do peixe.


(Editoria: Viagem/Pauta:Bonito - MS)
Bonito é bonito! Ou melhor, é lindo. Ao falar dessa cidade é praticamente impossível fugir do trocadilho, afinal o lugar apresenta uma das mais exuberantes belezas naturais brasileiras.


(Editoria: Comportamento/Pauta: Leitura infantil)
Era uma vez uma linda princesa que morava em um belo castelo, num reino muito distante, e estava à espera do seu príncipe encantado quando...

O primeiro contato de muitas pessoas com a leitura foi assim. Os contos de fada são tradicionalmente contados para as crianças na hora de dormir para que elas peguem no sono. A partir daí, muitas tomam o gosto pela leitura. Porém, com tantas novidades tecnológicas, como videogames, jogos de computador e diversos tipos de entretenimento na televisão, o livro acaba ficando de lado. E não é raro escutar a pergunta: Ler para quê?

(Editoria: Economia/Pauta: Casamento econômico)

Um lindo vestido branco, uma mulher radiante de alegria, flores frescas e perfumadas, convidados sorridentes à espera da figura principal deste dia, a noiva, que entra com o seu pai ao som da marcha nupcial para encontrar, no altar, o seu príncipe encantado.

O sonho de várias meninas, que aguardam ansiosas pelo tão esperado dia do seu casamento, muitas vezes vira pesadelo quando começam a chegar os orçamentos dos preparativos para o grande dia.

(Editoria: Gourmet/ Pauta: Queijo Parmesão)

Almoço de domingo, um momento único para encontrar todos os familiares e reunir-se em torno de uma mesa farta, na qual o prato fumegante de macarrão com um delicioso molho vermelho convida para um acompanhamento indispensável: o queijo parmesão ralado, derretendo por cima da tradicional massa italiana.


(Editoria:Viagem/Pauta: Fernando de Noronha)
"Infinitas águas e infinitas árvores; aves muito mansas, que vinham comer às mãos; um boníssimo porto que foi bom para toda a tripulação". (Américo Vespúcio, em carta à corte de Portugal ao chegar em Fernando de Noronha)

3 comentários:

Mayra M. disse...

Vou comentar nesse texto pra parecer mais atual, mas a verdade é que adorei o post de Hoe I Met Your Mother. Hahahaha!
Vou linkar seu blog no meu, êêêê! Adoro meus amigos jornalistas que não vêem pecado nenhum em ser blogueiro!

Danielle Vieira disse...

Eu já sou fã da tal da pirâmide invertida mesmo, principalmente agora com essa vida em 140 caracteres, onde preciso passar a informação antes de cansar o pobre da redação que recebe o meu material. Hj em dia deixo para florear no blog ou no meio dos textos, qdo aparecem pratos apetitosos ou bebidas com mais cara de obra de arte do q bebida em si.
Legal o seu blog.
Abs

Giorgio Galli disse...

Oi Thais, tudo bom?
Você podia me informar de onde são os exemplos de nariz de cera que você cita no post (qual o veículo?)
Brigadão!
Giorgio